Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Reiki

O que é o Reiki...

Reiki é uma palavra japonesa que significa “Energia Vital Universal”. O Reiki não é uma religião e nem uma crença. Ele abre novos caminhos para experiência espiritual e o aprendizado. Para receber a técnica do Reiki, a pessoa precisa passar por uma iniciação feita por um Metre de Reiki. Essa iniciação é feita pela imposição das mãos em forma de uma concha, visualizando símbolos (secretos) entrando no corpo da pessoa. Em uma iniciação a pessoa que vai receber o Reiki, fica em uma posição confortável, com a coluna reta para facilitar a absorção de energias. Geralmente durante as sessões muitos mestres de Reiki preferem ficar em silêncio para facilitar a conecção com seus mestres, seres superiores e outras energias. As posições são variadas trabalhado atrás da cabeça e na frente. A duração de uma iniciação pode levar de uma hora a uma hora e meia, variando de mestre para mestre. Após esta iniciação a pessoa não precisa passar novamente por este processo para melhorar ou recuperar os seus canais de energia. A pessoa passa por uma grandiosa transformação, se tornando diferenciada das outras. Esta transformação permanece por toda a vida.

Na energia vital do Reiki, a pessoa que está sendo inicializada, fica com todos os canais de energia abertos e limpos de obstruções pela inicialização do Reiki. Na prática do reiki, não há transmissão de nenhuma energia pessoal.

OS EFEITOS FISIOLÓGICOS DA ENERGIA REIKI NO NOSSO ORGANISMO

Francisco Osório Costa Júnior

A energia Reiki é uma energia de cura natural, inteligente e do tipo vibracional, ou seja, ela vibra em alta freqüência.

Cada chakra principal do nosso corpo apresenta seu centro físico que corresponde a uma glândula importante do nosso organismo. Quando algum chakra está desequilibrado, geralmente há uma descompensação no corpo físico (doença, mal-estar etc.). Ao aplicarmos Reiki, a energia vibracional que penetra na pessoa pelos chakras estimula a glândula correspondente ao chakra que está sendo energizado fazendo com que ela libere na corrente sanguínea seus hormônios que vão agir no nosso metabolismo.

Quando aplicamos Reiki sobre o chakra Base ou Raiz (Muladhara), a energia vibra e estimula as glândulas supra-renais. Estas glândulas liberam os seguintes hormônios: adrenalina, noradrenalina, os mineralocorticóides (aldosterona), os glicocorticóides (cortisol).

A adrenalina e a noradrenalina vão agir na corrente sanguínea. A aldosterona vai agir nas concentrações de íons (minerais) no corpo principalmente o sódio e o potássio, ou seja, ela retém o sódio no corpo e elimina o potássio. O cortisol atua no metabolismo da glicose, das gorduras e das proteínas no corpo sendo um verdadeiro hormônio metabólico geral.

Quando aplicamos Reiki sobre o chakra Umbilical ou Sacral (Swadhistana), a energia vibra e estimula as glândulas sexuais (ovários, próstata e testículos), responsáveis pelo desenvolvimento sexual masculino e feminino e pela regulagem do ciclo feminino.

Quando aplicamos Reiki sobre o chakra do Plexo Solar (Manipura), a energia vibra e estimula o pâncreas. Esta glândula estimula dois hormônios importantes: a insulina e o glucagon. Estes dois hormônios agem no metabolismo da glicose, a insulina conduz a glicose do sangue para dentro da célula para produzir energia, enquanto que o glucagon retira a glicose armazenada no fígado e nos músculos e joga na corrente sanguínea para repor a deficiência.

Quando aplicamos Reiki sobre o chakra Cardíaco (Anahata), a energia vibra e estimula o timo, responsável pela regulação do crescimento, pelo sistema linfático e o fortalecimento do sistema imunológico (sistema de defesa do organismo).

Quando aplicamos Reiki sobre o chakra Laríngeo (Vishuddha), a energia vibra e estimula a glândula tireóide que é importante para o crescimento do esqueleto e dos órgãos internos, além de regular o metabolismo do iodo e do cálcio no sangue e nos tecidos.

Quando aplicamos Reiki sobre o chakra Frontal (Ajna), a energia vibra e estimula a glândula pituitária ou hipófise que é responsável pela função das demais glândulas.

Quando aplicamos Reiki sobre o chakra Coronário (Sahasrara), a energia vibra e estimula a glândula pineal que secreta um hormônio chamado de melatonina que é responsável pela regulação do sono muito importante para as pessoas que sofrem de insônia.

 

 

OS BENEFÍCIOS DO REIKI NO COMBATE AO ESTRESSE

Francisco Osório Costa Júnior

A correria e as tensões do dia-a-dia são meio caminho para o aparecimento do estresse. Trata-se de um conjunto de reações que o organismo desenvolve ao ser submetido a uma situação nova que exige esforço para adaptação. O estresse é necessário, pois coloca o organismo em alerta, tornando-o apto a lidar com os desafios do cotidiano. Mas se este estado de alerta se torna crônico o organismo se desgasta, prejudicando a saúde.

Há algumas décadas, sem dúvida era o homem, que tinha de se preocupar com o sustento da família e com as pressões sociais. Hoje, como as mulheres ocupam lugar cada vez maior no mercado de trabalho, os níveis de estresse entre ambos estão se igualando. Mas o grupo mais vulnerável se situa na faixa etária dos 30 aos 50 anos de idade, época em que a luta pelo trabalho e pela estabilidade social é maior.

O estresse se divide em quatro fases, com sintomas diferentes em cada uma delas:

1ª Fase – diante de fatores que provocam o estresse, a pessoa sente medo, pânico, apreensão e, eventualmente, alegria;

2ª Fase – o organismo libera substâncias para se defender da presença prolongada de algum fator estressante. São os neurotransmissores: adrenalina, noradrenalina e cortisol. A pessoa sua muito, tem palpitações, fica com as extremidades frias, sente angustia e ansiedade;

3ª Fase – graças a sua capacidade de defesa, o organismo entra em equilíbrio com o agente estressante. Se esse fenômeno for de curta duração, não há sintomas. Se prolongado, provoca irritabilidade, alteração do sono e dores musculares.

4ª Fase – o equilíbrio se rompe e o organismo perde a capacidade de se defender. Isso pode causar fadiga crônica, depressão, idéias suicidas, apatia e síndrome do pânico.

Algumas pessoas passam por todos os estágios. Outras param no segundo ou no terceiro. Vai depender da capacidade de reação de cada um.

É muito comum pessoas estressadas procurarem o Setor de Fisioterapia e Terapias Complementares do Hospital Distrital Gonzaga Mota – José Walter em busca de ajuda. Quando deparamos com essa situação, nós conversamos com o paciente e aconselhamos que o melhor tratamento fosse às terapias complementares, dentre elas o Reiki porque é uma terapia natural sem contra indicação e acessível a qualquer pessoa, pois a energia Reiki que nós canalizamos ao paciente faz com que seu organismo libere substâncias chamadas de neurotransmissores que provocam alterações metabólicas que causam sensações de prazer, bem-estar e relaxamento. Os pacientes, submetidos à sessão de Reiki, referem que saem como se fossem outras pessoas, mais tranqüila, calma, afirmam que sentiram que estavam flutuando sobre a mesa, outras tem visões do passado vêem pessoas que já não fazem parte do seu convívio. Depois procuram novamente o setor para dar continuidade ao tratamento porque se sentiram aliviadas. É como se tivesse tirado um peso de suas costas. Muitas delas comentam com outras pessoas as maravilhas que o Reiki lhe proporcionou e começam a divulgar na comunidade.

 

COMO A CIÊNCIA VÊ O REIKI

 
ter, 26 de julho, 2011

Por William Lee Rand (Reiki News Magazine)

Pesquisas científicas na área de imposição das mãos vem sendo feitas há algum tempo. Há agora algumas experiências que validam e comprovam o tratamento com Reiki como técnica de cura. Alguns dos resultados mais interessantes dessas pesquisas demonstram que os resultados estão cada vez mais positivos hoje em dia. 
Quase todos os hospitais e centros de saúde pesquisaram e utilizam a técnica. Um dos exemplos dessas pesquisas: "Cura por Reiki - Uma Perspectiva Fisiológica". Em seu estudo, 48 pessoas compuseram o grupo experimental, enquanto 10 formaram o grupo de controle. Os grupos tiveram amostras de sangue retiradas no princípio e término da experiência. O grupo experimental recebeu tratamento com Reiki. O grupo de controle não recebeu o tratamento com Reiki.

Das amostras de sangue foram analisados a hemoglobina e o hematócrito. Hemoglobina é a célula vermelha do sangue que leva oxigênio. Hematócrito é a relação das células vermelhas do sangue com o volume total de sangue. As pessoas do grupo experimental que receberam o Reiki tiveram mudança significativa nesses valores com 28% sofrendo um aumento e o resto uma diminuição. As pessoas do grupo de controle não tiveram mudança significativa. As alterações, aumento ou diminuição são consistentes com o tratamento com Reiki, que é trazer equilíbrio para uma boa saúde.

Uma paciente teve 20% de aumento nesses valores. Ela continuou tratando-se 3 vezes por semana com Reiki e depois de 3 meses o aumento foi mantido. A paciente vinha de um quadro de anemia por deficiência de ferro. Outra experiência demonstrou aumento nos valores de hemoglobina, conduzida pela médica Otelia Bengssten, em um grupo de 79 pacientes com diagnósticos de pancreatite, tumor cerebral, enfisema, desordens endócrinas múltiplas, artrite reumática e parada cardíaca. O tratamento de Reiki foi feito em 46 pacientes, sendo 33 os de controle. Os pacientes mostraram aumentos significativos nos valores de hemoglobina. A maioria dos pacientes informou melhoras ou desaparecimento completo dos sintomas.

Esta experiência e a anterior demonstraram que as aplicações de Reiki produzem melhoras biológicas.

Outra experiência foi efetuada por Janet Quinn, diretora assistente de enfermagem na Universidade da Carolina do Sul. A meta dessa experiência era eliminar o efeito placebo. Trinta pacientes de coração receberam 20 perguntas de um teste psicológico para determinar o nível de ansiedade. Eles foram tratados com Reiki. Um grupo de controle de pacientes também foi tratado com tratamentos alopáticos à base de remédios convencionais. No primeiro grupo 17% teve o nível de ansiedade diminuído depois de 5 minutos de tratamento; o outro grupo não apresentou nenhuma modificação.

Daniel Wirth, da Pesquisa Internacional de Ciências de Cura em Orinda, Califórnia, conduziu um experimento controlado usando o Reiki. Quarenta e quatro estudantes da faculdade, do sexo masculino, com diversos e diferentes quadros. Todos os 44 receberam a administração do Reiki. Foi-lhes informado que o experimento era sobre a condutividade elétrica do corpo. Ninguém sabia que a experiência era sobre cura. No oitavo e décimo sexto dia foram feitas avaliações de cada um sobre comportamentos emocionais e dores ou problemas físicos. Depois de oito semanas, esse grupo tratado sentia diferenças em seus corpos, como mais disposição, bem estar, clareza mental e sono muito melhor.

Dr. John Zimmerman, da Universidade de Colorado, usando um SQUID (Dispositivo Supercondutor de Interferência Quântica) descobriu que campos magnéticos são criados ao redor das mãos de aplicadores e terapeutas de Reiki. As freqüências dos campos magnéticos que cercam as mãos dos reikianos eram de ondas dos tipos alfa e gama, semelhantes às observadas no cérebro de meditadores.

Dr. Barnard Grad, da Universidade de McGill em Montreal, usa sementes de cevada para testar o efeito de energias curativas psíquicas em plantas. As sementes foram plantadas e regadas com uma solução salina que retarda o crescimento. Uma parte das sementes, lacradas em um recipiente, foi regada com a solução energizada por um reikiano durante 15 minutos, e outra não foi. A pessoa que molhava as plantas não sabia qual grupo estava sendo aguado com a solução energizada com o Reiki e qual não estava. As plantas regadas com a solução salina cresceram mais rapidamente e mais saudáveis, com 25% mais peso e um teor de clorofila mais alto. Estas experiências envolvendo plantas, além de confirmarem a natureza da cura psíquica, confirmam a antiga compreensão metafísica de que energias curativas podem ser armazenadas em água para uso futuro.

Em outra experiência envolvendo a curadora psíquica Olga Worrall, o Dr. Robert Miller usou um transdutor eletromecânico para medir a taxa de crescimento microscópica de grama de centeio. O dispositivo usado tem uma precisão de milésimos de polegada por hora. O Dr. Miller fez a experiência em seu laboratório, fechando em seguida a porta para eliminar qualquer perturbação. Foi pedido a Olga, que se encontrava a mais de 600 milhas, para rezar e postar as energias das mãos à distância para a planta da experiência exatamente às 21 horas. No dia seguinte, quando o Dr. Miller voltou ao laboratório, o equipamento de teste tinha registrado crescimento contínuo normal de 6,25 milésimos de polegada por hora até às 21 horas. Naquele momento, o registro começou a divergir para cima e tinha subido a 52,5 milésimos de polegada por hora, que correspondia a um aumento de 840%! Esta taxa de crescimento permaneceu até de manhã, quando diminuiu, mas nunca para seu nível original.

O grupo de Spindrift fez extensas pesquisas envolvendo oração, Reiki e plantas. Os resultados indicaram que as plantas para as quais as rezas e o Reiki foram dirigidas crescem mais rapidamente e são mais saudáveis em comparação com as que não receberam, embora as condições sejam iguais para ambos os grupos de plantas.

Mais experiências estão sendo feitas e teorias científicas desenvolvidas para descrever o Reiki como técnica de cura. O desenvolvimento de equipamentos mais sensíveis permitirá à ciência entender, validar e praticar a realidade do tratamento com Reiki. Com isso veremos um uso crescente do Reiki individualmente, na família, em hospitais e consultórios. Um conhecimento mais profundo da natureza da saúde e da unidade de toda a vida redescobrirá a velha sabedoria que diminuirá o sofrimento, tornando a vida na Terra mais agradável e

.

voltar