Deprecated: mysql_pconnect(): The mysql extension is deprecated and will be removed in the future: use mysqli or PDO instead in /home/sites986/public_html/rubiagalante.com.br/Connections/loja.php on line 9
Rubia Galante

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

O que o Amor

 

O que é Amor?

 

 

     Amor é radiância, a fragrância de conhecer a si mesmo, de ser você mesmo.

Amor é uma alegria transbordante. Amor é quando você viu quem você é; então não resta nada exceto compartilhar o seu ser com outros. Amor é quando você viu que não está separado da existência. Amor é quando você sentiu uma unidade orgânica, orgástica com tudo que é.

     Amor não é um relacionamento. Amor é um estado de ser; não tem nada a ver com nenhuma outra pessoa. A pessoa não está em amor, ela é amor. E é obvio que quando alguém é amor, ele está em amor – mas isso é uma conseqüência, um subproduto, não é a fonte. A fonte é que a pessoa é amor.

     E quem pode ser amor? Certamente se não está consciente de quem você é, você não pode ser amor. Você será medo. Medo é simplesmente o oposto do amor. Lembre-se, o ódio não é o oposto do amor, como as pessoas pensam; ódio é amor de cabeça para baixo, ele não é o oposto do amor.

     O verdadeiro oposto do amor é o medo. No amor a pessoa se expande, no medo ela se encolhe. No medo ela fica fechada, no amor ela se abre. No medo ela duvida, no amor ela confia. No medo a pessoa é deixada sozinha, no amor ela desaparece; por isso não há absolutamente nenhuma questão de solidão. Quando alguém não é, como ela pode ser só? Então as árvores, os pássaros, o mar, as montanhas, as nuvens, o sol, a lua e as estrelas estão completamente dentro de você. Amor é quando você conheceu o seu céu interior.

     Amor é um profundo desejo de abençoar a existência toda.

 

 

 

... O amor é algo eterno. É a experiência dos budas, não das pessoas inconscientes das quais o mundo inteiro está cheio. Apenas raras pessoas souberam o que é amor, e essas mesmas pessoas são as mais acordadas, as mais iluminadas, os picos mais elevados da consciência humana.

     Se você quer realmente conhecer o amor, esqueça o amor e lembre-se da meditação. Se quer trazer rosas ao seu jardim, esqueça as rosas e cuide da roseira. Dê nutrição a ela, regue-a, certifique-se de que ela recebe a quantidade certa de sol, de água.

     Se tudo for providenciado, no tempo certo as rosas com certeza virão. Você não pode trazê-las mais cedo, não pode forçá-las a abrir-se mais rápido, e você não pode pedir a uma rosa para ser mais perfeita.

     Você alguma vez viu uma rosa que não fosse perfeita? O que mais você quer? Toda rosa em sua singularidade é perfeita.

     Dançando no vento, na chuva, no sol... Você não pode ver a tremenda beleza, a absoluta alegria? Uma pequena rosa irradia o esplendor oculto da existência.

     O amor é uma rosa no seu ser. Mas prepare o seu ser; disperse a escuridão e a inconsciência. Torne-se cada vez mais alerta e consciente e o amor virá por si próprio, em seu próprio tempo. Você não precisa se preocupar com isso. E quando quer que ele venha é sempre perfeito.

     O amor é uma experiência espiritual – não tem nada a ver com sexo e nada a ver com corpos, mas tem algo a ver com o seu ser mais íntimo.

     Mas você nem ao menos entrou no seu próprio templo. Você não sabe de modo algum quem você é, e está perguntando sobre amor. Primeiro seja você mesmo; primeiro conheça a si mesmo, e o amor virá como uma recompença. É uma recompensa do além...

 

(Osho)

 

voltar